...

outubro 17, 2010



Eu sou tímido, e ninguém acredita. É por isso que eu vivo dizendo pra pararem de me analisar pelas coisas que eu escrevo e penso. Quem me conhece pessoalmente sabe que eu mal abro a boca. Sorrio de cabeça baixa e não gosto de demonstrar afeto. Pois é. Eu acho muito mais fácil escrever. Tenho minhas ideologias, minhas opiniões, meu estilo de vida. E já que minha “fala” é limitada, escrevo. Não falo quase nada, mas observo muita coisa. Estudo o jeito que as pessoas andam, como sorriem, conheço o modo que mexem o cabelo… Conheço a felicidade e a tristeza no rosto de qualquer pessoa de longe. Sei quando finge estar feliz, e sei quando algo lhe incomoda. Tenho vergonha de falar ao telefone, com qualquer pessoa que seja. Muitas vezes falo olhando nos olhos, outras vezes, falo de cabeça baixa. O meu silêncio muitas vezes me ajudou. “Quem come calado, come duas vezes.” Quando você só observa, você aprende muita, muita coisa. Traduzindo: Ao invés de achar que conhece as pessoas e sair julgando-as por aí, se conheça e apenas observe o que tá em sua volta. Nem tudo é o que parece. Se é bom ser assim? É ótimo. Você cria meio que uma seleção natural de pessoas ao seu redor, pessoas pra contar. As outras não te respeitam. Você precisa realmente de pessoas que não sabem respeitar o seu jeito de ser? Que não te aceitam? Você não precisa disso. Não conheço muita gente na minha cidade. Devo contar nos dedos quantas conheço, e quantas me conhecem. Sou reservado, sou na minha. Não tenha medo de demonstrar ser inteligente se você é. Não tenha medo de ser especial da sua maneira. Não se iluda com coisas passageiras. Você não precisa imitar o jeito do seu amigo pra demonstrar que gosta dele. Não precisa imitar as roupas do seu ídolo pra provar que o ama. Você gosta de black power? Usa black power. Quer sair de terno e gravata? Saia. O importante é que você encontre um meio de se sentir bem. Não vá pela cabeça dos outros, vá pela sua. Porque quando os outros errarem,você erra junto e nem sabe porque vai tá errando. Gui Reple.








(Eu não costumo postar textos que não são de minha autoria, mas ao ler esse texto, eu me enxerguei nele, é como se estivesse me descrevendo, e está. É difícil achar algo que me identifique, mas achei. Eu não consigo me descrever, mas sei quem sou -não muito-, por isso posso dizer que esse texto tem um pouco de mim, apesar de que quem escreveu nem saiba da minha existência, mas é assim mesmo, escrevemos para nós, sobre nós, ai outra pessoa lê e se vê dentro daquele texto, é assim que funciona, pelo menos comigo.)

Você pode gostar também:

1 comentários

  1. Muito bom... também me encontrei em algumas partes desse texto. Temos dois olhos, dois ouvidos e uma boca; dizem que é porque temos de observar e ouvir mais e falar menos. Não sei se isso é algo biologicamente comprovado (xD), mas é uma boa filosofia. Também me expresso melhor escrevendo que falando, sou tímida - apesar de nem sempre parecer.
    Concordo sobre a ideologia de comportamento e modo de vida. Não sei quem é o autor, mas escreveu algo admirável. Que bom que resolveu compartilhar esse texto com seus leitores. ^^'

    OBS: Fico feliz que tenha gostado da história que estou escrevendo no meu blog, é a primeira vez que faço algo do tipo e a sua opinião foi muito importante pra mim. ^^'
    Já postei a segunda parte, espero que continue a agradar.

    http://caixinha-de-tudo.blogspot.com

    ;*

    ResponderExcluir

"O escritor é um homem que mais do que qualquer outro tem dificuldade para escrever."