Decisão

outubro 03, 2012



Da janela do trem fui vendo tudo ficando para trás, e pensei na decisão que se fincou em minhas mãos nesses últimos meses. Deixar tudo para trás ou continuar? Talvez, deixar para trás seria uma forma de seguir em frente, de progredir. Mas como raciocinar direito quando tudo o que você consegue pensar é em como dizer adeus? Ou pior, devo ou não dizer adeus?
Talvez pensem que é apenas uma crise de dúvidas, eu mesmo já cheguei a pensar que fosse. Até que tudo ficou mais sério e a cobrança da decisão vir me assombrar. Nunca fui boa em dizer adeus, tampouco um até logo. E agora, mesmo não sendo definitivo, sinto o peso em meu coração e em meus olhos querendo chorar o quanto é difícil tomar uma decisão que poderá me afastar das pessoas que -querendo ou não- me fizeram crescer e tornaram-se o símbolo do meu amadurecimento. Assemelho então, involuntariamente, a situação com momentos decisivos em nossas vidas. Qualquer calculo mal resolvido pode resultar em decepção e consequentemente em arrependimento. Decisões que envolvem sentimentos, necessidades e principalmente um futuro é necessário tempo para tomá-las. Então, resolvo por fim, aproveitar o tempo que ainda me resta para pensar um pouco mais. Impulsividade nunca foi meu forte, ao menos nunca resultou em algo bom.

Você pode gostar também:

2 comentários

  1. Eu sou muito apegada a tudo, então sempre que eu tenho que fazer uma mudança eu penso muito nisso, sabia? Eu tenho ,ás vezes, muita vontade de mudar de escola, só não mudo porque eu sei o quanto que eu vou sentir falta da minha depois...
    -XOXO

    http://s2juuh.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Sou daquelas que se apega tanto que não consegue soltar,parece que nada que faz vai conseguir mudar algo,e ás vezes isso me deixa louca,mas sei que o tempo vai resolver.
    wolftheideia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

"O escritor é um homem que mais do que qualquer outro tem dificuldade para escrever."