Arrumando o quarto - a vida

maio 19, 2013


E eu olho pra bagunça em meu quarto tentando encontrar um sentido em tudo isso. Não é só a cama cheia de roupas ou maquiagens espalhadas na cômoda. É a minha vida perdida em meio a tanta desordem. Onde já não encontro espaço para deitar-me, tampouco o que vestir para sair. Onde no espelho reflete meu rosto lavado e insatisfeito, tentando encontrar o batom vermelho que demonstre alguma atitude inexistente, mas disfarçável. Sabendo que no mundo lá fora pouco se importam para o que esses lábios possam dizer ou já disseram. E minha roupa aparentando despreocupação e indiferença - contradizendo ao fato da demora de tê-la escolhido-, só aumentará a curiosidade patética dessas pessoas que acham que te conhecem só por olhá-la uma mísera vez. Mal sabem que as pessoas se escondem, se camuflam e se contradizem por simples insatisfação e medo de ser quem realmente é. A sociedade te impõe ao ridículo, e você caí que nem tolo, até que se canse e que já não caiba mais na cama, até que não encontre nada do que procura, e perceba, por fim, que é melhor organizar a bagunça, não só no quarto, mas na mente e na vida. 

Você pode gostar também:

1 comentários

"O escritor é um homem que mais do que qualquer outro tem dificuldade para escrever."