VISITANDO REDAÇÕES: TV CULTURA + TV RECORD

julho 27, 2016

(Redação TV Record - Jornal da Record)

No 1º semestre da faculdade tivemos a aula de Conceitos jornalísticos - Agência de notícias e um dos trabalhos que tivemos que realizar foi visitar duas redações. Escolhemos o Repórter Eco, da TV Cultura e o Record News, da TV Record.

Tivemos a oportunidade de conhecer toda a infraestrutura das duas emissoras, como redações, ilhas de edição, bancadas de jornais, cenários de alguns programas e ainda conversar com os dois editores-chefes dos respectivos programas, e ter uma aula de como funciona uma redação. 

(Redação TV Cultura - Jornal da Cultura)

Pra quem não conhece, o Repórter Eco foi criado em 1992, para se aprofundar em assuntos da RIO 92 e por ter feito tanto sucesso, seus criadores resolveram fazer um programa semanal voltado somente para o meio ambiente. Já o Record News foi lançado em 2007, e é um programa que abrange notícias diversificadas.

Conversando com a editora-chefe do Repórter Eco, descobrimos coisas estruturais sobre a linha de edição, tivemos acesso ao espelho e vimos as pautas da semana. Uma curiosidade é que essas pautas são muitas vezes enviadas por telespectadores e eles discutem internamente. Então há sempre uma interação com o público.
Perguntando sobre os funcionários, a editora disse que o programa não contém freelancers, são apenas funcionários fixos que passaram por um processo seletivo rígido. E só pra constar, eles não consideram estagiários como funcionários.

(Redação TV Record - Portal R7)

Já por outro lado, no Record News descobrimos que eles pegam as pautas do jornal da Record mesmo e vão acompanhando as notícias que vão surgindo no dia, então se surgi algo novo e relevante eles priorizam. E os critérios para escolha da notícia baseiam-se nas que mais afetam a vida do público.
Nós pedimos um exemplo de como eles julgam algo de fato relevante para o público e ele nos falou:
"Imagine uma padaria que foi assaltada pela quinta vez em determinado bairro. Isso é importante para quem mora no tal bairro, certo? Independente de ser um jornal local e não um jornal voltado só para um bairro, pensamos que casos assim, por mais que envolvam menos pessoas, são importantes, pois a repetição de um crime, de cara, já é algo para todos ficarem em alerta."
Para fugirem do sensacionalismo evitam mostrar cenas de sangue e pessoas chorando, pois isso em nada agrega para o telespectador.
E quanto aos funcionários, eles também não possuem freelancers, mas sim correspondentes externos. Quanto aos estagiários, na Record em geral eles contratam até que bastante, mas informaram que isso ocorre geralmente a partir do 3º semestre do curso e dificilmente antes. 

(Cenário de gravação - TV Record)

Pedimos a ambos para darem algumas dicas para nós e para quem pretende entrar na área. A resposta foi unânime: 
- Ler! Jornal impresso, revista, pela internet, não importa o meio, mas ler! 
- Desconfiar de tudo, sempre buscar os dois lados da história.
- Não acusar, pois não cabe ao jornalista acusar, mas sim informar. 
- Não ver a internet como um risco para TV, a internet veio pra auxiliar, dar suporte.

Por fim, devo dizer que foi uma experiência incrível conhecer as duas emissoras e conversar com os profissionais da área. Realmente dá aquela vontade de trabalhar em TV. Quem sabe, né?

E vocês, já foram em alguma?
Já pensaram em trabalhar na TV?
Conta aí!

Beijos e até a próxima!

Você pode gostar também:

0 comentários

"O escritor é um homem que mais do que qualquer outro tem dificuldade para escrever."