Amor à primeira vista

novembro 25, 2016


Conheci ele no metrô. Não foi nada romântico. Não trocamos olhares, tampouco esbarramos um no outro como nas comédias românticas. Uma amiga o conhecia, e eu, na sorte ou destino, ao estar com ela, o conheci. Embora os olhos dele não fossem direcionados a mim, os meus não os desgrudava. Olhava, incansavelmente. Apaixonadamente.

Sorria, meio envergonhada. Ele achou que era o meu normal. "Você é feliz, né?" questionou quase em uma afirmativa. E eu, ainda sem saber ao certo o que era felicidade respondi que "às vezes sim". Minha timidez naquele momento era perceptível. Mas não tanto quanto a dele que, em todos os gestos, se fazia perceber.

Minha mente divagava. Será que existe mesmo amor à primeira vista? 
Ainda tenho dificuldades em responder a essa pergunta de forma positiva. Mas uma coisa é irrevogável. Naquele dia algo aconteceu, e eu esperaria o tempo que fosse para ele, enfim, olhar pra mim.

Olhou?
Olhou.

Você pode gostar também:

0 comentários

"O escritor é um homem que mais do que qualquer outro tem dificuldade para escrever."