O meu amor começa


o meu amor começou no metrô. entre um sorriso e um olhar tímido. o dele começou na ausência, na insegurança e na saudade. começamos na presença, e na incapacidade de estar longe um do outro. há, mais ou menos, sete anos atrás. oficialmente, cinco. mas o nosso amor começa todos os dias. começa nas mensagem diárias e no reencontro todas às sextas-feiras. começa no preparo do café da manhã e do almoço-quase-janta. começa na demora pra escolher algum filme na netflix e na gratidão sempre que o vejo anotar a data no ingresso do cinema, para então guardar em uma caixinha com -quase- todos os filmes que já assistimos juntos. começa no dengo por quem irá abraçar o outro na hora de dormir e na briga pra decidir quem irá abrir a porta do quarto para os gatos. o nosso amor começa no cheiro ao se encontrar, no “dormiu bem?” ao acordar, e no “se cuida” ao partir. começa na preocupação de um com o outro e nas desculpas quando se comete algum erro. todos os dias o nosso amor começa, inclusive aqui, nas palavras, já que algumas coisas só saem de mim assim, escrevendo.
o amor começa em qualquer lugar e a qualquer horário, não qualquer. começa no olhar, no sorriso e nas lágrimas, no beijo e no abraço. começa na despedida e no reencontro, na saudade e na presença. pode começar aqui, ali ou lá. na rua, no trânsito ou no parque. o meu amor não se finda, não tem vírgula ou ponto final. o meu amor começa. e o seu?

Instagram