Recordar é viver


esses dias fiquei doente e chorei. E acho que não foi de dor. também dei uma pausa nos exercícios diários e estou evitando ver o jornal. às vezes tenho palpitações e a primeira coisa que me vem a mente é a tal covid-19, mas é ansiedade. passei a me distrair relembrando o passado, vendo fotos e vídeos antigos, como quem sente saudade. mas a verdade é que tenho medo do tempo. 

olhei uns stories antigos nos itens arquivados do instagram e lembrei de alguns amigos que sinto falta, mas não sentia. assisti coisas que fiz e já havia esquecido. E que vontade de fazer de novo. 

senti saudade de sentir. 

das metas criadas para a volta da normalidade, se é que algum dia a gente volte ao normal, é fazer coisas pela primeira vez. embora, depois de todo esse tempo - e ainda o que está por vir, fazer qualquer coisa talvez já nos proporcione esse sentimento de ineditismo. 

por ora, apenas imagino que estou em uma ponte de ferro, debaixo de uma cachoeira, com os braços para cima e gritando enquanto a água cai sobre mim. igualmente a foto que vejo. “recordar é viver” nunca fez tanto sentido.

Instagram